Luíza Dunas nasceu em Lisboa, que tem por sua terra oráculo, porto e pórtico das suas vi(r)agens.

Os escriptos surgem-lhe por obediência, assinalando imperativo que lhe inspira o cumprir de uma travessia revelatória de profundos, da qual se sente tão-só a decifradora e a primeira leitora.



quinta-feira, 18 de agosto de 2016



vim a ti, irmã de profundis,
no teu coraçao está o meu coração
ai
sinto as narinas grutas batidas de mar, os ouvidos a surdina destes fundos, as têmporas rebentam-me as costuras do sangue, morro-me, elegia-me teu neptuno canto, leva-me em teu dorso ao areal.


no dorso da baleia | Salto da gazela - sonhos de uma curandeira |

Sem comentários:

Enviar um comentário