Luíza Dunas nasceu em Lisboa, que tem por sua terra oráculo, porto e pórtico das suas vi(r)agens.

Os escriptos surgem-lhe por obediência, assinalando imperativo que lhe inspira o cumprir de uma travessia revelatória de profundos, da qual se sente tão-só a decifradora e a primeira leitora.



quinta-feira, 22 de maio de 2014

ao descerrar das brumas 
o assobiar do vendaval 
flameja a espada da ísis ancestral
aves negras na senda dos alvores
a foz na voz d'irmãos amores
fogo diamantino, vulcão, 
minha lava, minhas cinzas, 
em todos os desertos, fontes, meu coração 
travessias ao lodo, lótus original.

Sem comentários:

Enviar um comentário