Luíza Dunas nasceu em Lisboa, que tem por sua terra oráculo, porto e pórtico das suas vi(r)agens.

Os escriptos surgem-lhe por obediência, assinalando imperativo que lhe inspira o cumprir de uma travessia revelatória de profundos, da qual se sente tão-só a decifradora e a primeira leitora.



segunda-feira, 18 de julho de 2011

noiva encantada

de duas árvores o pássaro desprendeu o canto
no coração mergulhou o sol
por vastas planícies cobertas de flores
o relinchar de cavalos brancos
bandos de gansos sobrevoam os lagos
o cuco virá anunciar o calor
e sobre a cabeça o céu e o véu pousarão.






1 comentário:

  1. Que canto, Amiga! E que encanto, minha Irmã!

    É a noiva um puro véu de goivos: o noivo!

    Entre o céu e o véu: um beijo.

    ResponderEliminar